2, 3 e 4 Março - Serra da Estrela

IMG_1970

IMG_1706

DSC00032

Jantar convívio na Serra da Estrela Asinha - David Rodrigues Quiaios - Pedro Puga

 

Decorreu o estágio programado para a Serra da Estrela nos dias 2, 3 e 4 de Março
Um primeiro grupo chegou na sexta e pernoitou nos diversos sítios programados para o efeito.
A previsão meteo não era a melhor aconselhando os pilotos a aproveitarem todos os momentos possíveis de voar.
Na sexta-feira tivemos como piloto sonda, o Vítor Baía que mostrou o voo possível para aquelas condições, descolagem na Asinha, aproveitamento de algum termo dinâmico e transição para Vale de Amoreira, entretanto decorria uma confluência entre as brisas de leste que na Asinha funcionam quase sempre com o meteo de Oeste, linha de nuvens com alguns congestus no horizonte a exigir muita atenção dos pilotos para os desenvolvimentos  verticais.
A seguir ao Vítor descolaram os pilotos avançados aboua fazendo a mesma transição Asinha Vale de Amoreira até que a nuvem passou a fazer efeito directo alteando as condições nesta última descolagem e por precaução todos os pilotos foram para o chão de orelhas e 360. O Ricardo ainda fez a transição de um vale para outro de orelhas voltando depois para aterragem.
As condições depois acalmaram com a passagem da nuvem permitindo aos iniciados efectuarem vários voos com a excelente paisagem do Zêzere por baixo no vale glaciar de Manteigas em especial a Maria e o Prieto até que o Oeste se impôs levando a que todo o grupo migrasse para Linhares.
Em Linhares o vento estava no limite, descolaram o Abel , o Pedro Puga e o Ricardo inicialmente e depois quando as condições melhoraram os menos experientes.
No sábado, o dia ameaçou chuva mas enquanto isso não aconteceu todo o grupo voou, com o Bruno a dar o mote e o Carneiro  a subir mais alto desde a Asinha, quando finalmente a chuva chegou, foi a vez de descerem em caminhada desde a descolagem até às casas do Sameiro, o Abel, Sérgio e Jorge Faria.
O Jantar de confraternização decorreu no Sameiro com cerca de 60 pessoas, convívio, animação, boa disposição e as nossas meninas a serem as estrelas da noite. A animação continuou noite adentro com o Carlos Correia a mostrar jeito para croupier e a Catarina a deixar-nos pobres.
No domingo, as condições pioraram, o grupo evoluiu para as dunas de Mira onde o Miguelito e o Daniel Jorge mostraram as habilidades e depois para Quiaios. Aqui, vento no limite da descolagem em segurança, muito técnica, saíram o Pedro Puga e o Abel, optando o restante grupo por fazer um compasso de espera para ver se o vento baixava de intensidade. Difícil era a descolagem, no ar, excelentes condições do pós frontal, linha térmica a permitir sobrevoar Quiaios e entrar pelo mar adentro sem perder grande altura e voltar à descolagem aterrando o Abel no limite da noite aeronáutica.
Na serra da estrela, o alojamento é barato e de grande qualidade, as pessoas são simpátics e sabem receber, a restauração é magnífica, o pessoal teve tempo de ver a serra, comprar o magnífico queijo da serra e demais produtos regionais e dentro das condições possíveis voou-se bem.
Um obrigado especial ao clube Vertical e ao Vítor Baía e Miguel Ferrand, pelo apoio logístico e serviços de guia, a Serra da Estrela tem potencialidades inigualáveis para o voo livre, vamos voltar em breve seguramente para desfrutar das excelentes condições naturais, até breve Manteigas.
Parabéns ao David Rodrigues e Pedro Puga com uma ajuda sempre preciosa da Claudia, venha o próximo estágio com regras algo diferentes em Trás-os-Montes.

Decorreu o estágio programado para a Serra da Estrela nos dias 2, 3 e 4 de Março.

A previsão meteo não era a melhor aconselhando os pilotos a aproveitarem todos os momentos possíveis de voar.

Na sexta-feira tivemos como piloto sonda, o Vítor Baía que mostrou o voo possível para aquelas condições, descolagem na Asinha, aproveitamento de algum termo dinâmico e transição para Vale de Amoreira, entretanto decorria uma confluência entre as brisas de leste que na Asinha funcionam quase sempre com o meteo de Oeste, linha de nuvens com alguns Cumulus Congestus no horizonte a exigir muita atenção dos pilotos para os desenvolvimentos  verticais. A seguir ao Vítor, descolaram os pilotos avançados aboua fazendo a mesma transição Asinha - Vale de Amoreira até que a nuvem passou a fazer efeito directo alterando as condições nesta última descolagem e por precaução todos os pilotos foram para o chão de orelhas e 360. O Ricardo ainda fez a transição de um vale para outro de orelhas voltando depois para aterragem. As condições depois acalmaram com a passagem da nuvem permitindo aos iniciados efectuarem vários voos com a excelente paisagem do Zêzere por baixo no vale glaciar de Manteigas, em especial a Maria e o Prieto, até que o vento oeste se impôs com intensidade levando a que todo o grupo migrasse para Linhares. Em Linhares, o vento estava enfrentado no limite, descolaram o Abel , Pedro Puga, Ricardo e o David Rodrigues inicialmente e depois quando as condições melhoraram os menos experientes.

No sábado, o dia ameaçou chuva mas enquanto isso não aconteceu todo o grupo voou, com o Bruno a dar o mote e o Carneiro  a subir mais alto desde a Asinha, quando finalmente a chuva chegou, foi a vez de descerem em caminhada desde a descolagem até às casas do Sameiro, o Abel, Sérgio e Jorge Faria.O Jantar de confraternização decorreu no Sameiro com cerca de 60 pessoas, convívio, animação, boa disposição e as nossas meninas a serem as estrelas da noite (ver vídeo). A animação continuou noite adentro com o Carlos Correia a mostrar jeito para "croupier" e a Catarina a deixar-nos pobres mendigos a pedir.

No domingo, as condições pioraram, o grupo evoluiu para as dunas de Mira onde o Miguelito e o Daniel Jorge mostraram as habilidades e depois para Quiaios. Aqui, vento no limite na descolagem, muito técnica, saíram o Pedro Puga e o Abel, optando o restante grupo por fazer um compasso de espera para ver se o vento baixava de intensidade. Difícil era a descolagem, no ar, excelentes condições do pós frontal, linha térmica a permitir sobrevoar Quiaios e entrar pelo mar adentro sem perder grande altura e voltar à descolagem aterrando o Abel no limite da noite aeronáutica.

Na serra da estrela, o alojamento é barato e de grande qualidade, as pessoas são simpátics e sabem receber, a restauração é magnífica, o pessoal teve tempo de passear na serra, comprar o magnífico queijo da serra e demais produtos regionais e dentro das condições possíveis voou-se bem.

Um obrigado especial ao clube Vertical e Miguel Ferrand pelo apoio logístico e serviços de guia, a Serra da Estrela tem potencialidades inigualáveis para o voo livre, vamos voltar em breve seguramente para desfrutar das excelentes condições naturais, até breve Manteigas.

Parabéns ao David Rodrigues pela ideia e ao Pedro Puga pela materialização com a ajuda sempre preciosa da Claudia, venha o próximo estágio com regras algo diferentes em Trás-os-Montes.

 

 

ver fotos »»»

ver vídeo as nossas artistas (brevemente)

ver poquer (brevemente)

 

Full Review William Hill www.wbetting.co.uk